facebook youtube twitter

P Política

PS Barreiro - PS DESAFIA CDU A INVERTER ESTRATÉGIA E NÃO FICAR DE FORA

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

“Se a CDU não quer assumir responsabilidades terá de o assumir, claramente, perante os barreirenses.”

 

A propósito da situação política atual e do quadro de governação das autarquias do Barreiro, vem o PS Barreiro e todos os seus eleitos esclarecer:

  1. Há mais de 2 anos, fora do período eleitoral, o PS deliberou por unanimidade defender um modelo de governação participado, respeitador das diferentes visões e vontades existentes. Com efeito, definiu-se que em caso de vencer as eleições autárquicas de 2017, partilharia com lealdade as responsabilidades de governação com as demais forças políticas, admitindo que em caso de derrota os eleitos do PS comprometer-se-iam a trabalhar pelo Barreiro. Acreditávamos, antes como hoje, que todos são necessários na mudança que o Barreiro exige.
  1. A 1 de Outubro, o PS Barreiro venceu as eleições autárquicas no Barreiro, recebendo do eleitorado um mandato claro para operar a mudança que o nosso concelho exige. Em concreto, o PS subiu em 45% a sua votação, triunfando claramente em 5 dos 6 órgãos autárquicos do concelho, naquele que foi o seu melhor resultado de sempre.
  1. Poucos dias após as eleições, o Partido Socialista endossou a todas as forças políticas com representação no Barreiro (CDU, PSD, BE, PAN, MCI) um pedido escrito de reunião para abordar as condições de governabilidade das autarquias locais. Com exceção do PCP, todas as forças políticas anuíram a este pedido, saudando o espírito democrático por nós assumido.
  1. O PCP recusou, expressamente e por escrito, aceitar o estabelecimento de conversas entre partidos, exigindo que todos os diálogos fossem mantidos entre eleitos e atrasando deste modo todo o processo. Consequentemente, fomos forçados a aguardar pela tomada de posse, que recorde-se decorreu no dia 22 de Outubro por vontade expressa dos eleitos do PCP, conforme dita a lei. Não obstante estas estranhas exigências, não desistimos do diálogo.
  1. Desde as eleições de 1 de outubro, os eleitos do PS estenderam convites aos eleitos do PCP para integrar a mesa da Assembleia Municipal (20 de Outubro), a mesa da União de Freguesia do Barreiro/Lavradio (18 de Outubro) e a presidência da mesa da União de Freguesias do Alto do Seixalinho, Santo André e Verderena (18 de Outubro). Todos estes convites, colocados sem condições, foram recusados.
  1. Ainda no âmbito da atribuição de pelouros na CMB, reuniu o Sr. Presidente da Câmara Municipal do Barreiro – Frederico Rosa – com os 4 eleitos do PCP, nos dias 23, 24 e 30. Todos estes encontros, que decorram de forma satisfatória, serviram para expressar aquilo que já havia sido reiterado: “O PS deseja contar com todos os que desejem trabalhar em prol do Barreiro.
  1. No decurso destas reuniões, ficou combinado que o diálogo continuaria após a reunião de Câmara de dia 8, compromisso esse que continua válido e pretendemos cumprir. “A nossa conceção do poder local é a de considerar como uma mais valia a gestão participada por outras forças políticas, seja em maioria ou em minoria, afirmou recentemente Bernardino Soares (PCP), posição que subscrevemos também como nossa.
  1. Em Lisboa, Almada e Alcochete, o PCP recusou os pelouros que lhe foram atribuídos. Não sabemos se estas decisões se prendem com alguma imposição superior, mas registamos que são vários os locais onde o PCP, depois de derrotado, se tem afastado do exercício do poder. No Barreiro, não queremos acreditar que o PCP pareça mais centrado em encontrar desculpas do que em assumir pelouros e, deste modo, trabalhar pelo nosso concelho. A este propósito, solidarizamo-nos e recordamos os esforços inglórios de convergência dos Sr. Presidente da C.M.L., Fernando Medina, bem como da Srª. Presidente da C.M.A., Inês de Medeiros.
  1. O PS Barreiro, e os seus autarcas, instam os eleitos do PCP a reconsiderem a sua esta posição. Nos próximos dias, continuaremos a tudo fazer para contar com o contributo desta força política numa gestão que, desse modo, será bastante mais enriquecida.
  1. Caso o PCP não pretenda assumir responsabilidades de governação terá de o assumir, claramente, perante o eleitorado do Barreiro. E vamos mais longe: caso a primeira eleita Sofia Martins, ou alguma facção mais radicalizada do PCP, não o deseje fazer, o que é legítimo, mas criticável, não desistiremos de contar com o contributo dos restantes 3 vereadores eleitos da CDU.

 

O Secretariado do PS Barreiro

 

 

Email:

geral@distritonline.pt / publicidade@distritonline.pt

Telefone:

916 797 042

Google Bottom