facebook youtube twitter

C Cultura

SeixalJazz está de volta de 19 a 28 de outubro

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Espetáculos decorrem no Auditório Municipal e na Mundet Factory

SeixalJazz está de volta de 19 a 28 de outubro

O SeixalJazz 2017 decorre de 19 a 28 de outubro, cruzando músicos e projetos do melhor e mais promissor jazz nacional, europeu e norte-americano. Pelo palco do Auditório Municipal passará o quinteto de Wolfgang Muthspiel, que abrirá esta edição, seguindo-se o projeto Slow Is Possible, Michaël Attias e o seu quarteto, o quinteto de João Barradas, o quarteto de Dominique Pifarély e a terminar, o incontornável nome do jazz Lee Konitz. Este ano estará de volta o Seixajazz Clube que funcionará no espaço da Mundet Factory, um bar e restaurante de referência na Margem Sul. Serão seis noites com formações nacionais que farão renascer o espírito de clube de jazz do festival e que complementam a programação do Auditório Municipal. Ricardo Toscano Trio, Volúpia das Cinzas e The Rite of Trio compõem o programa do SeixalJazz Clube. Estes concertos têm início às 23 horas e são de entrada livre.image001

O quinteto de Wolfgang Muthspiel abre o festival no dia 19 de outubro. O guitarrista austríaco, a quem a revista The New Yorker apelidou de «a shining light» (uma luz brilhante) apresenta-se com uma formação de grandes nomes do jazz americano contemporâneo. A prestigiada Down Beat classificou o seu disco «Rising Grace» (2016) como uma «obra-prima» e atribui-lhe nota máxima.

Slow Is Possible é o projeto de seis jovens músicos portugueses que atuam no SeixalJazz no dia 20. São uma das mais recentes revelações do jazz português e tocam um jazz com evidentes influências eruditas, mas que também vai beber ao rock, pós-rock, blues, fado e improvisação livre. Editaram o primeiro álbum, «Slow Is Possible», para a JACC e acabaram de lançar o segundo pela editora Clean Feed, intitulado «Moonwatchers».

Michaël Attias é um dos músicos mais proeminentes da cena jazz nova-iorquina do século XXI. O quarteto que apresenta no SeixalJazz, a 21 de outubro, é um dos projetos mais criativos a surgir nos últimos tempos. «Nerve Dance», o seu último disco, recebeu a aprovação generalizada da crítica internacional.

Na segunda semana, o SeixalJazz abre espaço para o quinteto de João Barradas, um dos mais conceituados e reconhecidos acordeonistas europeus. Move-se entre a música clássica, o jazz e a música improvisada. Apresenta-se com uma formação de músicos excecionais do panorama nacional, no dia 26 de outubro. Gravou «Directions» para a editora nova-iorquina Inner Circle Music, disco que mereceu a classificação de 4,5 estrelas na Down Beat.

Dominique Pifarély combina a tradição clássica do violino com o swing da música contemporânea europeia, tendo contribuído para a modernização do violino no jazz com mestria na execução e uma forma criativa e imaginativa de compor. O seu quarteto sobe ao palco do Auditório Municipal no dia 27 de outubro.

O SeixalJazz 2017 encerra com um nome incontornável, Lee Konitz, um dos mais criativos e prolíficos intérpretes do jazz moderno. Na sua longa carreira atravessou todos os estilos do jazz e tocou com quase todos os grandes intérpretes: Dave Brubeck, Ornette Coleman, Charles Mingus ou Lennie Tristano. Apresenta-se com uma energia e capacidade de improvisação mais vivas do que nunca, no dia 28 de outubro.

Os concertos acontecem sempre às 22 horas, no Auditório Municipal do Fórum Cultural do Seixal. Os bilhetes já estão à venda.

Como habitualmente, o festival dedica um dia ao seu projeto pedagógico e os alunos e professores das escolas básicas do concelho do Seixal vão assistir a um concerto comentado pelo quinteto do trompetista Gonçalo Marques, na tarde do dia 25 de outubro.

Programa

Programa do Auditório Municipal do Fórum Cultural do Seixal

Programa do SeixalJazz Clube – Mundet Factory


Wolfgang Muthspiel Quintet
19 de outubro – quinta-feira – 22 horas
Wolfgang Muthspiel – guitarra
Ralph Alessi – trompete
Jon Cowherd – piano
Scott Colley – contrabaixo
Eric Harland – bateria

Slow Is Possible
20 de outubro – sexta-feira – 22 horas
André Pontífice – violoncelo
Bruno Figueira – saxofone alto
Duarte Fonseca – bateria
João Clemente – guitarra
Nuno Santos Dias – piano
Ricardo Sousa – baixo elétrico e contrabaixo

Michaël Attias Quartet
21 de outubro – sábado – 22 horas
Michaël Attias – saxofone alto
Aruán Ortiz – piano
John Hebert – contrabaixo
Nasheet Waits – bateria

João Barradas Quinteto
26 de outubro – quinta-feira – 22 horas
João Barradas – acordeão e acordeão midi
André Fernandes – guitarra
João Paulo Esteves da Silva – piano
André Rosinha – contrabaixo
Bruno Pedroso – bateria

Dominique Pifarély Quartet
27 de outubro – sexta-feira – 22 horas

Dominique Pifarély – violino
Antonin Rayon – piano
Bruno Chevillon – contrabaixo
François Merville – bateria

Lee Konitz Quartet
28 de outubro - sábado – 22 horas

Lee Konitz – saxofone alto
Dan Tepfer – piano
Jeremy Stratton – contrabaixo
George Schuller – bateria

19, 20 e 21 de outubro
Ricardo Toscano Trio
Ricardo Toscano – saxofone
Nelson Cascais – contrabaixo
Nemanja Delic – bateria

26 de outubro
Volúpia das Cinzas

Gabriel Ferrandini – bateria
Hernâni Faustino – contrabaixo
Pedro Sousa – saxofone tenor

27 e 28 de outubro
The Rite of Trio
André Silva – guitarra
Filipe Louro – contrabaixo
Pedro Alves – bateria

 

 

Fonte: Cláudio Anaia

Email:

geral@distritonline.pt / publicidade@distritonline.pt

Telefone:

916 797 042

Google Bottom